Há um DEMÔNIO atrás da porta: a poesia gótica de karin poetiza

Um livro de poesia deve ser lido mais de uma vez. Entender os versos é só a primeira fase, depois vem o entendimento da essência e somente após muitas leituras, o aprofundamento da alma em seus ritmos e vozes.


É diferente de um romance, em que raramente lemos novamente, por já sabermos a história e por quase nunca nos trazer algo de novo. Já a poesia, ao contrário, sempre traz algo novo em sua leitura, pois a impressão que temos é sempre a de uma nova revelação trazida em imagens e sentimentos. Um livro de poesia na cabeceira da cama é uma motivação, um pensamento latente a tocar nossa alma, quando a poesia admirada passa a fazer parte do que somos, e é por isso que muitas vezes decoramos um poema inteiro, como frases que para sempre levaremos em nosso profundo íntimo.


O livro “Há um DEMÔNIO atrás da porta” (Editora Círculo Soturnos), de karin poetiza, traz uma poesia sombria que, na primeira leitura, já sentimos que a autora quer nos deixar uma mensagem. Na segunda, essa mensagem ganha vida, e percebemos que existem vozes por trás das palavras. A partir de então, quando ficamos mais familiarizados com o livro, podemos ouvir lamentos. E se não tomarmos cuidado, o silêncio da leitura é interrompido pela agonia de várias almas torturadas.


Há canção nos poemas de karin. Como uma caixinha de música nos trazendo ecos do além. Por isso, sugiro a leitura sob a luz de velas, porque é um livro para ser lido não apenas na penumbra, mas também em silêncio (longe das pessoas, e nunca dentro de um ônibus), pois somente assim captaremos o som que surge inicialmente tímido, para depois sermos possuídos pelas várias almas que dão vida a este artefato.


Nota-se uma autora abandonada, e um ambiente velho, antigo. Tanto que, se o livro viesse com teias de aranha, a decoração lhe cairia bem.