Blog Soturno

Encontre aqui todas as informações sobre tudo que vem ocorrendo em relação à editora Círculo Soturnos, além de entrevistas, textos dos autores, artigos e matérias sobre nossos lançamentos e eventos.

Buscar

Desfecho miserável

Atualizado: Mar 8


Pelo buraco do umbigo Vejo a passos lentos tuas vísceras emaranhadas apodrecendo Teus anticorpos já cansados vão morrendo.

Até onde esta máquina levar-te-á? Sentes teus parafusos afrouxando E as engrenagens rugindo Como se estivessem emperrando?

Eis o acumular de bactérias Onde o regozijo é no desfecho Miserável da matéria. Vírus enferrujam o esqueleto Vermes enlouquecem no banquete Devorando o defunto putrefato e obsoleto.

Não há reflexo no espelho Foi-te a vida um vaidoso desespero Foi-se a vaidade no enterro

Ouça o tilintar das pás Sentes o peso da terra sobre o peito Em um arfar obscuro a te tocar E o clarão da vida se fechar

Não há mais jeito O ataúde é teu suporte Findaram-se a dor da carne e os cortes Resta apenas aceitar...

Eis o teu primeiro dia na morte.


36 visualizações
  • WhatsApp Soturnos
  • Twitter Soturnos
  • Youtube Soturnos
  • Instagram Soturnos
Logotipo Soturna Sintonia Preto.png