Capa Page Face_edited_edited.jpg

Blog Soturno

Encontre aqui todas as informações sobre tudo que vem ocorrendo em relação à editora Círculo Soturnos, além de entrevistas, textos dos autores, artigos e matérias sobre nossos lançamentos e eventos.

“Frankenstein”, de Mary Shelley.

Atualizado: 8 de Mar de 2020


"Frankenstein: ou o Moderno Prometeu", escrito em 1816, por Mary Shelley (1797-1851) é um dos maiores clássicos da Literatura Gótica e do Romantismo, e uma das obras mais conhecidas da literatura universal de todos os tempos. É quase impossível encontrar alguém que nunca tenha, ao menos, ouvido falar do nome "Frankenstein", apesar de as pessoas comumente chamarem por esse nome o "monstro", quando na verdade este é o nome do seu criador.

O romance, geralmente em clima tétrico e dramático, conta a história de Victor Frankenstein, um jovem estudante de ciências naturais, que fica fascinado pela hipótese de poder criar vida a partir da matéria morta, e assim, empenha-se para chegar a este fim. Com o passar de dois anos, após muito trabalho e esforço, ele consegue. Entretanto, o resultado não sai como o planejado: a sua criação é um ser amarelo, monstruosamente feio, de 2,40 m de altura; nas suas palavras "nenhum mortal seria capaz de suportar o horror daquele rosto." No entanto, apesar de sua aparência, o "monstro" demonstra ser alguém sensível, bondoso e inteligente, que apenas ansiava pelo amor e pela afeição, porém o mundo lhe dá um tratamento proporcional à sua monstruosidade exterior, ignorando as suas qualidades, o que resulta em seu profundo sentimento de vingança e ódio, sobretudo por seu criador, Victor Frankenstein, que também o despreza e repudia. A partir daí toda a desgraça recairá sobre Victor e aqueles que ama.

O romance é de uma criatividade impressionante, e mais impressionante ainda é saber que foi escrito quando a autora tinha apenas 19 anos. Interessante também é a história da origem de tal obra: em 1816, Mary Shelley, em companhia do seu marido, o poeta Percy Shelley, e de sua meia-irmã Claire Clairmont, passou o verão num castelo do poeta Lord Byron, próximo de Genebra, na Suíça, onde também se encontrava o médico John Polidori. Numa certa noite, após lerem uma antologia alemã de contos de fantasmas, Byron propôs que cada um escrevesse uma história de terror, uma espécie de concurso entre eles. Byron então escreveu um conto conhecido hoje por "O enterro", mas que nunca foi terminado. Percy Shelley escreveu uma história baseada nas primeiras experiências de sua vida. Polidori escreveu o conto "O vampiro", primeira história sobre vampiros em língua inglesa; tornou-se um clássico da Literatura Gótica, e chegou mesmo a influenciar o famoso "Drác