Blog Soturno

Encontre aqui todas as informações sobre tudo que vem ocorrendo em relação à editora Círculo Soturnos, além de entrevistas, textos dos autores, artigos e matérias sobre nossos lançamentos e eventos.

Buscar

Na noite sem fim

Atualizado: Mar 8



Por: Júlia Trevas (Poema do livro ELEGIA)

Narração: Renan Caíque


Descarregar-me como um peso em uma leitura.

Minha alma lateja e produz essa sensação estranha...

Como um lampejo, um lampejo de solidão

perturbando a solitude.

O som do silêncio... Como um impactante, porém leve zumbido;

Quebrado é! O arrastar da caneta sob o papel o quebra;


E este frio noturno que me abrasa é um egoísta conforto!

Observo os terrores do livro de bolso,

penso nos desabrigados afora...

A perturbada Solitude desequilibra-se e me apavora!


Versos aquebrantados agora são guiados por sons ao fundo...

Quebrados versos, aqui quebras-me noite fria!

Moça eterna de estrelas pontilhada,

Por nuvens vermelhas e acinzentadas emoldurada num elmo.


Será que Keats também transpirou este sentimento

Ao contemplar urnas desenhadas?;

Ao elogiar o nobre pássaro da noite?

Este pesaroso sonho é incerto...

Já desconheço o sono, já não posso distinguir.


8 visualizações
  • WhatsApp Soturnos
  • Twitter Soturnos
  • Youtube Soturnos
  • Instagram Soturnos
Logotipo Soturna Sintonia Preto.png