Coruja.jpeg

Sobre a autora

Formada Bacharel em Letras pela USP. No ano de 1999 ganhei o Prêmio Nascente como intérprete e coreógrafa na categoria de dança, premiação oferecida pela mesma universidade. Nesta mesma década escrevi um esboço dos meus contos. Escrever é como tecer uma teia; um trabalho que parece não ter fim, sempre surge algo novo que se enrola na teia e vamos lá sugar a essência para continuar a trama. 
Apaixonada por histórias de terror, vampirismo, creepypastas do mundo inteiro, episódios paranormais e narrativas de mistério espero dividir com leitores do Brasil e quiçá do mundo afora as mórbidas pérolas de horror sobre temas considerados tabus: paixões necrófilas, vampirismo e loucura, tudo temperado com o elemento gore que deixa tudo mais escalofriante. 
Em todos os maus momentos de minha vida o horror paradoxalmente funcionou como antídoto e alívio frente ao próprio medo da morte e dos sentimentos de luto e vazio. 
Fugir destes temas é negar enxergar o mal e se omitir a ele. 
Toda luz nasce das sombras.