Blog Soturno

Delírio

06/06/2018

 

Numa noite de lua alta.
Bem alta...
Eu já tinha bebido
do meu sangue.


Ela estava com os lábios encantados,
cheios de ópio.
E o meu beijo adormecido
na companhia
da sua sombra.


Voando pelos tetos do salão,
no meu castelo,
o órgão
tocava sozinho.


Eram vultos da madrugada.


No entanto,
eu e ela
víamos
a morte irromper
nossas almas.


Sorríamos,
nos fundíamos
até que,
já rotos
de tantos abraços
e sangue,
caímos do teto,
e a morte então nos pegou
e sussurrou
com sua voz baixa e gutural:


- Eu os amo!


(Insânia...)

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Postagens Relacionadas:
Please reload

  • WhatsApp Soturnos
  • Twitter Soturnos
  • Youtube Soturnos
  • Instagram Soturnos
Logotipo Soturna Sintonia Preto.png